sábado, 22 de junho de 2013

A INCOERÊNCIA DO DISCURSO DE DILMA



"Até quando, SENHOR, clamarei eu, e tu não me escutarás? Gritar-te-ei: Violência! e não salvarás? Por que razão me mostras a iniquidade  e me fazes ver a opressão? Pois que a destruição e a violência estão diante de mim, havendo também quem suscite a contenda e o litígio. Por esta causa a lei se afrouxa, e a justiça nunca se manifesta; porque o ímpio cerca o justo, e a justiça se manifesta distorcida" 
(Habacuque 1.2-4)


1- Nas últimas semanas o povo brasileiro invadiu a "maior arquibancada do Brasil" para protestar contra o governo e as autoridades constituídas. Na pauta dos protestos se destacam a indignação e a aversão à corrupção generalizada, o aumento das tarifas do transporte coletivo, a PEC 37 que tenta amordaçar o Ministério Público e os gastos excessivos para a copa das confederações e copa do mundo, tudo isso em detrimento das necessidades básicas da população (educação, saúde e segurança).
2- Na sexta feira (21 Junho 13)  por volta das 21h, a presidente Dilma Rousseff fez um pronunciamento em cadeia nacional. O discurso visava dar fim ou minimizar as manifestações populares que levaram cerca de 1,5 milhões de brasileiros às ruas. 
3- O discurso "politicamente correto" elogiou as manifestações de caráter ordeiro e democrático, porém, num arroubo narcisista que lhe é peculiar fez questão de destacar: "A minha geração lutou muito para que a voz das ruas fosse ouvida. Muitos foram perseguidos, torturados e morreram por isso... E ela não pode ser confundida com o barulho e a truculência de alguns arruaceiros".
4- Dilma requereu para si e para sua geração os louros do povo  ter direito de "voz nas ruas". Ela enfatiza em tom prepotente que as manifestações de hoje são possíveis graças a ela e sua geração. A incoerência nas palavras da presidente e ex-militante está no fato de condenar a "truculência de alguns arruaceiros".  O que a presidente esqueceu de dizer é de que parte de sua geração usou exatamente da violência, truculência, baderna, depredação e arruaça para se fazer ouvir. O movimento do qual ela participou também era formado por "guerrilheiros armados" que assaltavam, sequestravam e matavam.
5- Todos nós condenamos e repudiamos o uso da violência e do vandalismo.  Nenhum cidadão de bem aprova atos de baderna e depredação de bens públicos ou privados, nem no presente, nem no passado ou no futuro de nosso país. Concordamos com a presidente que as manifestações devem ser de forma pacífica e ordeira. O que não podemos aceitar é o falso moralismo, a hipocrisia, o sarcasmo e o despotismo de um governo que no passado recente usou e abusou do vandalismo insuflando as massas. Como diz o ditado popular: "pimenta nos olhos dos outros é colírio".
6- Ao contrário de grande parte da geração de Dilma, os manifestantes de hoje não estão a serviço de ideologias socialistas ou comunistas importadas do exterior. Os manifestantes de hoje não pegam em armas e não treinam ações de guerrilha. Não estão a serviço de partidos políticos e nem são manipulados por sindicatos ou governos internacionais. Trata-se de uma manifestação patriótica, consciente e voluntária. Uma atitude pessoal de cidadania e indignação. Os manifestantes de hoje, não usam máscaras e nem codinomes. Vão as ruas de cara limpa e não se deixam intimidar pela repressão policial por conta de "meia dúzia" de baderneiros. Baderneiros estes, aliás, cujas práticas são condenadas pelos manifestantes.
7- Outro deslize da presidente foi reivindicar que não abre mão do combate sistemático à corrupção e ao desvio de recursos públicos. Na contramão e contradizendo o discurso presidencial ouve-se o eco da "voz das ruas" bradando contra a inércia de suas ações contra a corrupção. 
8- Como mancha no discurso de Dilma, está o fato de seu governo abrigar parte dos "aloprados" mensaleiros já condenados  por corrupção pelo Superior Tribunal Federal. E fazendo sombra a frase que  " a melhor forma de combater a corrupção é com transparência e rigor" temos a suspeita nomeação do advogado Luís Roberto Barroso  para ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), que afirmou com todas as letras que o julgamento do mensalão foi "um ponto fora da curva".
9- Vale ainda ressaltar que no início das manifestações muitos políticos profissionais e seus assessores se posicionaram contra o protesto. Mas quando o movimento alcançou proporção nacional, tal qual camaleão, os tais de olho nas eleições mudaram de postura. O recado que vem da "voz das ruas" não pode ser subestimado  A insatisfação é geral e atinge todas as esferas dos governos municipais, estaduais e federal. Minimizar e tentar desqualificar as manifestações em virtude de poucos baderneiros é um insulto a nossa inteligência. 
10- Quero registrar que sou apartidário. Não sou filiado a nenhum partido político. Não defendo e nem levanto nenhuma ideologia partidária. A bandeira que levanto neste artigo é a do caráter, da moral e da ética. Levanto a bandeira da manifestação pacífica, do voto consciente e do repúdio aos discursos vazios.  Registro reprovação ao vandalismo e também a hipocrisia, pois discurso e prática quando são incoerentes sinalizam hipocrisia. E eu estou cansado tanto do vandalismo  quanto da hipocrisia...


domingo, 16 de junho de 2013

CONGRESSO DE ESCOLA BÍBLICA.




1. Nos dias 15 e 16 de junho do corrente ano aconteceu o Congresso de Escola Bíblica. O evento foi realizado no templo da Assembleia de Deus de Ceilândia Sul, o ministrante foi o Pr. Douglas Baptista - Presidente da ADMDF.
 2.  O tema abordado foi  A excelência do ministério do ensino baseado em Rm 12. 7 .
                                              
                            "Se é ensinar haja dedicação ao ensino".

sábado, 15 de junho de 2013

LANÇAMENTO DA PEDRA FUNDAMENTAL NO BANANAL














1. Na segunda-feira (10 Jun 13) por ocasião do culto festivo na congregação do Bananal (SOF Sul), deu-se o lançamento da pedra fundamental para a construção das novas instalações do prédio que será usado como templo e lugar de adoração. Trata-se de mais uma congregação do Ministério da Igreja Evangélica Assembleia de Deus do Distrito Federal (ADMDF).
2. Na oportunidade estiveram presentes os membros fundadores da congregação, irmã Maria e irmão Cesar. Dentre as lideranças presentes, destacamos:
- Pr. Douglas Roberto Baptista (Presidente ADMDF)
- Missionária Dirley Silva Baptista (Presidente Círculo Oração ADMDF)
- Pr. Anivaldo Rufino (Vice-Presidente ADMDF)
- Ev Evando Lopes (Secretario Executivo de Missões ADMDF)
- Dc Soeiro e irmã Jô (Dirigentes da congregação SOF Sul)
- Dc Valmar (Vice-Dirigente SOF Sul)

LOUVAMOS A DEUS POR MAIS UMA PORTA ABERTA

HOMENAGEM AO DIA DO PASTOR




















1. No segundo domingo do mês de junho (9 jun 13),celebrou-se o dia do pastor. O Ministério da Igreja Evangélica Assembleia de Deus do Distrito Federal (ADMDF) prestou homenagem ao seu presidente: Pastor Douglas Baptista
2. O Departamento da Escola Bíblica Dominical (EBD), no domingo pela manhã, por meio de sua diretoria, professores e alunos apresentaram um jogral, poesias e louvores a Deus em homenagem ao dia do pastor. Na ocasião a EBD ofereceu uma cesta de frutas e presentes ao Pastor e sua família.
3. Por ocasião do culto da noite, os demais departamentos da igreja (Ministério, círculo de oração, varões, mocidade e adolescentes) revezaram-se nas homenagens e entrega de presentes ao Pastor Presidente e sua família.
4. Diversos textos bíblicos foram oferecidos e as mais variadas palavras de gratidão e incentivo foram proferidas pelas lideranças da igreja. Vários líderes destacaram as virtudes e as qualidades do pastor. Na ocasião os membros congregação do bananal (SOF Sul) participaram das homenagens.

domingo, 9 de junho de 2013

CASAMENTO DE MAYTE & MONTEIRO





1. Em 08 de junho de 2013 (Sábado), no Templo da ADCRUZ  (Assembleia de Deus do Cruzeiro Velho) em Brasília - DF, às 20h, uniram-se pelos sagrados laços do matrimônio o casal Anderley Pessoa Monteiro e Mayte Carneiro Costa.

2. A cerimônia religiosa com efeito civil foi presidida pelo Pr. Dr. Douglas Roberto de Almeida Baptista, presidente da Assembleia de Deus de Missão do Distrito Federal (ADMDF), assistido por sua esposa Missionária Dirlei da Silva Baptista, Líder da União Feminina das Assembleias de Deus do Distrito Federal (UFADDF). Também prestigiaram o evento as filhas do casal Priscila e Jéssica Baptista.

3. Aos recém casados desejamos todas as bençãos do Senhor Deus no lar que se inicia. Sejam felizes e que o Senhor Jesus esteja sempre convosco.



sexta-feira, 7 de junho de 2013

PALESTRA COM O COMANDANTE DA POLÍCIA MILITAR DO DISTRITO FEDERAL.


1. Com intuito de se falar em segurança pública dentro das igrejas do DF, a Polícia Militar do Distrito federal realizou na manhã de hoje (4), a I Reunião com Lideranças Religiosas.
2. O encontro foi no Templo Militar Evangélico e contou com a presença do comandante-geral da PMDF, coronel Jooziel de Melo Freire, e membros convidados pelo conselho de pastores.


3. "O nosso lema é mostrar como as igrejas podem usar seu poder de liderança em prol da segurança pública, dentro da perspectiva da polícia comunitária", ressaltou o capitão Gisleno, capelão evangélico da PMDF.

4. Segundo o comandante-geral, o espaço dentro das igrejas também pode ser usado para discutir problemas sociais além do evangelho. "Precisamos deixar na igreja um espaço onde se fale sobre segurança pública e fazermos que a sociedade participe de forma integral da comunidade em que vive"' discursou o coronel Jooziel.

5. Para alcançar esse objetivo, a PMDF vai distribuir folderes para os líderes religiosos, além de fomentar a participação dos membros das igrejas nos Conselhos Comunitários.

REUNIÃO COM O GOVERNADOR DO DISTRITO FEDERAL.




Agnelo Queiroz ressaltou que medida é um dos grandes objetivos do governo
BRASÍLIA (1/6/13) - O governador Agnelo Queiroz reforçou, hoje, em reunião com o Conselho de Pastores Evangélicos do DF (Copev-DF), na Igreja Metodista, localizada na Asa Norte, o compromisso de legalizar os cerca de 1,8 mil templos religiosos que possuem documentação em dia no Distrito Federal.

"Regularizar essas áreas é um grande objetivo do nosso governo, que está se debruçando sobre isso para dar uma solução definitiva", destacou Agnelo Queiroz, acompanhado do vice-governador, Tadeu Filippelli.

Segundo ele, o segmento precisa desse apoio para continuar com a prestação de serviço social, como aqueles realizados em creches e casas de recuperação de pessoas com dependência química.

Para  concretizar a medida, o GDF se reúne periodicamente com representantes do Ministério Público, que entende a necessidade de incluir, além da venda das áreas, a concessão real de uso, o que permite a utilização do terreno por tempo determinado.

"O papel da igreja é fundamental porque é uma das instituições que mais ressocializam. Os templos são parceiros do governo para isso", declarou o pastor Josimar Francisco da Silva, presidente da Copev-DF, que possui cerca de 3 mil filiados.

O evento também contou com a participação do secretário de Trabalho do DF, Bispo Renato Andrade, e de cerca de 200 pessoas, entre pastores e fieis.